2 de jan de 2012

Porto Alegre – Jerusalém

Se tudo der certo, e não explodirem nenhuma bomba atômica, de fevereiro a maio de 2012 estarei vivendo o que provavelmente será a maior aventura da minha vida até então: morar três meses entre Palestina e Israel, trabalhando para uma ONG. Trata-se da Ecumenical Accompaniment Programme for Palestine and Israel (EAPPI), organismo vinculado ao Conselho Mundial de Igrejas (CMI), que, por meio da defesa dos Direitos Humanos e do Direito Humanitário, procura proteger comunidades vivendo em situação de risco no interior da Cisjordânia.

Antes que perguntem por que diabos vou me meter num conflito desses, preciso dizer que trabalhar com Direito Internacional, e, mais especificamente, com Direitos Humanos, é um sonho antigo. Será um desafio, e ao mesmo tempo uma honra, dar minha pequena contribuição para o entendimento entre os povos, ainda mais em um local tão riquíssimo em cultura e história. Além do mais, é importante dizer que estarei seguindo os passos do meu amigo Eduardo Minossi, que teve a oportunidade de participar desse programa entre os meses de setembro e dezembro de 2011, e cujas observações podem ser conferidas no blog http://minossidaarabia.tumblr.com/

Enfim, há, na minha decisão, muito de idealismo e muito mais de esperança: tenho fé em mundo melhor, baseado no diálogo e na valorização do ser humano, tudo para a preservação da vida e para uma melhor compreensão da realidade.

Meu posto será o de Ecumenical Accompanier. Ou seja, durante noventa dias residirei em alguma comunidade pré-escolhida pelo programa, onde ficarei em contato direto com indivíduos de diferentes culturas e orientações religiosas (principalmente judeus, muçulmanos e cristãos, não necessariamente nessa ordem), buscando, na medida do possível, evitar e denunciar eventuais abusos praticados por ambos os lados. Não servirei de escudo humano ou qualquer loucura do tipo; apesar dos riscos envolvidos, a ideia da ONG é, simplesmente, que a presença física de internationals impeça pequenas violações diariamente praticadas contra os Direitos Humanos, oferecendo alguma forma de assistência a essas comunidades fragilizadas: aliás, como diz o overview disponibilizado no sítio eletrônico do programa, we stand faithfully with the poor, the oppressed and the marginalized. We want to serve all parties in this conflict in a fair and unbiased manner in word and action (http://www.eappi.org/index.php?id=4565)

O objetivo do blog, será, portanto, expor um pouco das minhas experiências na Terra Santa, na condição de Érico e, também, de Ecumenical Accompanier. Vejo-me como um peregrino, que vai até um lugar desconhecido em busca de alguma verdade inexprimível; assim, em sendo inexprimível, pode ser que venha a falar sobre direitos humanos, história, turismo, sofrimento e alegria, sobre mim e sobre os outros, sobre o que os meus olhos vêem de concreto e o que o meu coração enxerga de simbólico e sagrado. É pretensioso, eu sei, mas quero – muito – que essa viagem sirva não só à compreensão de um dos conflitos mais antigos da humanidade, mas também à reflexão sobre a própria condição do ser humano, com tudo o que ele tem de bom e ruim.

Deus sabe lá onde essa experiência pode me levar. Por enquanto, vou compartilhando com vocês a minha ansiedade :)

Nenhum comentário:

Postar um comentário